sábado, 21 de agosto de 2010

Invenção

E de onde vem a poesia?
Se não das contas que fazemos da vida,
dos olhos tortos, do vento, da chuva.
Do pranto afobado, da alma refeita.
É que não se cobra o sentimento,
se vive a voz, o sim, o momento.
Acaso parecer o poeta um que nada mais é,
é porque não soube inventar,
mentir, forjar, aprimorar as palavras que a compõe.
E se acaso for de você perguntar
o que fazer da conotação que não viu,
volte ao começo e leia a palavra,
não meu coração.


Por: Ana Paula Morais

 

2 comentários:

  1. "Se não das contas que fazemos da vida,dos olhos tortos, do vento, da chuva.Do pranto afobado, da alma refeita."

    A poesia é esta força criadora e imortal que move os seres, que atinge os seres, mesmo que a maioria não saiba processá-la, entendê-la, transcrevê-la ou transformá-la em arte, ciência ou religião. Talvez a própria natureza seja uma poesia dinãmica que flue pelo infinito, mudando sempre, nos mudando para sempre...

    ResponderExcluir
  2. leia a palavra, não meu coração. Intenso!

    ResponderExcluir

Um beijo pelos dedos que aqui escrevem, um Queijo pelo suspiro aqui postado.