quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A [mor] fina...

Justamente em sua complexidade, o verbo "amar" se utiliza de si próprio para render definições, variações [des]apropriadas para os ouvidos inertes nessa ideologia. Mas é nessa nossa  pertinência em querer definir, que esquecemos que o mais belos dos sentimentos é, com a licença da palavra, "pronome" indefinido, invariável e totalmente aplicável a qualquer ser humano que se permita conhecê-lo. A incessante busca nossa em conhecer, experimentar, gozar dos sabores e defini-los após a degustação nos tira o gosto da sensibilidade em viver, aprender, apreender, reproduzir e mostrar-se capaz de "amar"-se e "amar" a outrem. É neste sentido que nos perdemos. Esquecemos que "amar" pressupõe leveza, empatia e reciprocidade. Costumamos idealizar e denominar tudo a nossa volta, e o pouco que não corresponde a isto, vira hipocrisia, falsidade, ilusão. Não nos enganemos, pois. Porque o amor é absolutamente e tão somente algo que nós, em nosso íntimo, aprendemos a reconhecer e entender, e portanto, indefinir. Se nós o definirmos, estaremos o limitando em nosso espaço, e o amor, o Amor, meus caros, esse percorre todas as nossas arestas, nos mais diversos espaços. E sendo assim, o amor se finda, por não sermos capazes de efetuar essa compreensão. Matem o Amor! Mas se permita ao menos, conhecê-lo.

Por: Ana Paula Morais

Um comentário:

  1. "Se nós o definirmos, estaremos o limitando em nosso espaço, e o amor, o Amor, meus caros, esse percorre todas as nossas arestas, nos mais diversos espaços."

    > Definição bastante adequada! o/ A maioria dras pessoas tem a ilusão de que o amor é isto ou aquilo, mas o amor é muito mais do que meras interpretações, é a própria estrutura da realidade, conectando tudo e todos, seja a nivel molecular, seja o micro ou o macrocosmo, sejam seres vivos entre si, ou pessoas entre si...percorrendo tudo que existe, e dando condições para que tudo de fato exista. O amor torna o mundo visível...Se as pessoas não dão a oportunidade de conhecerem o amor, logo desconhecem o próprio mundo a qual pertencem...Mata-se o amor, esfarela-se o mundo...

    ResponderExcluir

Um beijo pelos dedos que aqui escrevem, um Queijo pelo suspiro aqui postado.