terça-feira, 12 de outubro de 2010

Passarás

Então o amor vem, te completa em tantos momentos, te deixa cativante, radiante, te goza, te sente, te venera, te escolhe... De repente, o amor cansa e vai embora. E como entender isso? São pensamentos, situações novas, pessoas novas, conflitos novos, conceitos mortos... Mas a gente insiste porque sabe que se é recíproco, vale a pena lutar, correr, voar... Mas não. Não devemos. Se existe a reciprocidade, muito pelo contrário, a luta é desnecessária. Mas mesmo assim, pensamos, queremos ver até onde chegamos. Tentar: essa é a palavra mil vezes dita por todos que amam. Não, meus caros. Quando existe amor não se tenta, o amor por si só nos sustenta, nos deixa livre para amar. E continuamos a nos declarar, a querer mostrar... Erro. Se é o amor que nos sustenta, não necessitamos declarar, mostrar, o amor por si só efetua essa compreensão. Então, se estamos a tentar, a lutar, a querer, a declarar, a mostrar... Não nos enganemos, são simplesmente resquícios de um amor não mais recíproco. Sigamos, pois, a Vida.

Por: Ana Paula Morais


3 comentários:

  1. Tem muita razão, mas nem sempre as coisas são tão simples, nem tão complicadas. Às vezes falta alguma coisa num momento que não faltaria noutro (mas o primeiro momento dificilmente se tornará o segundo graças a insistência. Há que ser como você diz, se existir um outro momento, virá com o tempo).

    É assim... Eu mesmo já conheci tantas "pessoas certas" na época errada... Mas é a vida, fazer o quê? Talvez pra compensar, volta e meia me surge uma pessoa errada na hora certa. :-P

    bj

    ResponderExcluir
  2. E quando ter a hora certa, a pessoa certa? Na verdade, meu caro Cárlisson, não existe tempos certos, nem errados e sim novos olhares para o que te acontece e de que forma acontece. Mas é verdade... sempre tem algo mais a se conquistar... com o tempo!

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. "... são simplesmente resquícios de um amor não mais recíproco. Sigamos, pois, a Vida."

    Gostei, apesar que as vezes eu fico olhando pra trás, sem seguir adiante (...)

    Obrigada por me seguir, estou te seguindo também. Beijos

    ResponderExcluir

Um beijo pelos dedos que aqui escrevem, um Queijo pelo suspiro aqui postado.