quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Proteção Divina

Enclausurada, partiu a alma para não incomodar,
fez pirraça, dançou de graça, não quis voltar.
Levou a razão, deixando a vida e coração,
em prantos miúdos, surgiu no mundo
como quem é filho da criação.

Por que a tormenta, em tal amada ilusão?
Se passo contente, feliz e carente, 
cada sentida ingratidão!

Leve-me em suspiros, mas deixe meu corpo e pés no chão, 
tão meio sorriso, não esta pronto para essa paixão.
Eu sei da vida e dos contos sanados em reflexão,
mas meu coração menina, confuso vivia
na palma da tua mão.

Surjo e esmoreço a cada palavra tua,
menina mulher, com o ventre em chamas,
só clama ternura.

Partirei inflando, na certeza de teu ser,
abrir meus caminhos para me proteger.
Abençoe minha vida, pés e mãos,
que mais longe encontrarei
o caminho do teu coração.

Por: Ana Paula Morais