terça-feira, 1 de março de 2011

"que seja como um casulo...

... e que se encha de beleza". E foi tanta a certeza que me causou e abalou aqui esse coração, quebrou um gelo de medo em jogar tudo pro ar e deixar acontecer. Que tempo de amor, o nosso! Não sinto falta das poucas vezes que saimos juntos noite afora, nem das pessoas querendo saber de nós, nem dos pés cansados e sujos... Sinto falta das noites que ia dormir tarde pra arrumar a bolsa pra no outro dia logo cedo ir te ver, sinto falta do  seu cheiro quando acorda, sinto falta da sua voz rouca querendo dormir, sinto falta das uvas e biscoitos na praia, sinto falta da chuva caindo e nos molhando, sinto falta dos riscos na areia com nosso nome (e a gente já vinha rindo do casal que fazia isso, apaixonado...) e como você me fazia sentir bem, com todas as nossas diferenças e conversas longas... É com a mesma certeza que sei que se isso tiver de voltar, minha blusa estará aberta e meu coração, mais uma vez, te entregarei nas mãos...


Por: Ana Paula Morais

Um comentário:

Um beijo pelos dedos que aqui escrevem, um Queijo pelo suspiro aqui postado.