quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Mordo

seus lábios, seu corpo, seus cabelos, sua barba só pra saber que estás entre minhas possibilidades. E assim estando, certifique que meus olhos pairam sobre você. E continuam a deitar-se... 


Por: Ana Paula Morais

I'm feeling...

E eu não sei de qual espaço me interesso mais. Dos orifícios que me deixam sem tocar ou das mazelas que se constroem quando estamos a nos tocar. E eu sinto lentamente o veneno que nos envolve. E eu não sei onde isso vai parar... 
Só quero sentir.


Ilegalmente, a sonhar.

Por: Ana Paula Morais

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

"Cego

é aquele que não enxerga por uma cerca de vara". 
Corina Alexandre da Silva 
(Índia, rezadeira e benzedeira)



quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Respire-se

Deixe sentir seu calor, sua vibração, seu cansaço, sua euforia e seu coração. São eles que te movem e te permitem à mudança, às reações, às sensações. Procure aquilo que te faça ferver diariamente. Seja uma música, a letra de alguém, a respiração ofegante depois da caminhada, o beijo mordido de uma paixão, um copo de café, um "Bom dia", o acordar, o envelhecer... E  corra. Corra para o que te estremece. 
Os abalos sísmicos favorecem à resistência. 
Seja amor, seja luz, seja paz. 
Faça. 
Ponha. 
Queira. 
Viva. 


Não tema sentir comigo.


Por: Ana Paula Morais



domingo, 7 de novembro de 2010

Pra você


Deixa ser como será
Quando a gente se encontrar?
No pé, o céu de um parque a nos testemunhar ♪

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Silencie

Quando de fato, queremos "apagar" algo da nossa memória, por qualquer que seja o motivo, é preciso constantemente e fundamentalmente silenciar sobre ele.


Silenciamos, portanto, aquilo que nos convém.  

Por: Ana Paula Morais