sábado, 10 de novembro de 2012

Por ti, canto!

Quero-te como um pranto quente me queimando viva,

Percorrendo leve e beijando a face
Banhando inteira, minha boca livre.

Espero-te como a paz aguda a pertubar a terra,
Branqueando sonhos, arqueando vida,
Preenchendo a alma, curando a ferida.

Relembro os beijos quentes na noite morna,
Enquanto estás livre do meu alcance,
Retorno breve, desta noite, é a prece.

Mas mesmo longe, sinto seu odor,
Na escuridão das pálpebras frias,
Rosnando alto: “Alegria, Alegria”.

Por: Ana Paula Morais 


2 comentários:

  1. Mais uma tempestiva canção. Uma alma se pondo a favor da paixão! Parabéns Ana: pelo talento e tanto mais!...

    ResponderExcluir
  2. Meu querido amigo, muito obrigada. É o coração que faz isso. É ser humano...

    ResponderExcluir

Um beijo pelos dedos que aqui escrevem, um Queijo pelo suspiro aqui postado.